Toxina botulínica, conhecido como Botox, entenda

O que é a Toxina Botulínica e como funciona?



A toxina botulínica é uma neurotoxina produzida pela bactéria Clostridium botulinum, capaz de atuar sobre as membranas pré-sinápticas do sistema nervoso periférico, bloqueando a transmissão neuromuscular, ou seja, impedindo a liberação do mesmo nas terminações nervosas, o que ocasiona o enfraquecimento muscular.


Popularmente conhecido como Botox, devido a ser a marca registrada da empresa Allergan, existem atualmente diversos laboratórios que também produzem a toxina para uso estético, como Dysport, Botulift, entre outros.

Atualmente, no âmbito da estética, apesar de existirem diversas opções no mercado, a aplicação de toxina botulínica ainda é uma das intervenções mais indicadas para REJUVENESCIMENTO FACIAL, com o objetivo principal de TRATAR E SUAVIZAR a ocorrência de LINHAS DE EXPRESSÃO faciais que são provocadas pelos vícios da mímica enquanto o rosto se movimenta e de RUGAS que continuam aparecendo mesmo com o rosto imóvel.

A toxina botulínica se diferencia dos demais tratamentos faciais, devido à sua forma de atuação, uma vez que ao ser injetada diretamente no músculo facial, sua atividade resulta na paralisação do movimento muscular. Devido à paralisação causada na área de aplicação, o músculo tende a diminuir as contrações, o que ameniza e/ou evita o surgimento das linhas de expressão. A ação da toxina é totalmente efetiva e atua tanto na suavização dessas linhas como na prevenção do surgimento de novas rugas.

Quais as indicações para o tratamento com a Toxina?

Apesar de cada paciente possuir necessidades INDIVIDUAIS, tornando a avaliação prévia fundamental para direcionar o melhor tratamento, e indicar quais regiões e quantas unidades de aplicação são necessárias, as principais queixas e indicações para o uso da toxina botulínica em pacientes são para o tratamento do terço superior eliminando rugas glabelares (entre as sobrancelhas), da fronte (testa) e perioculares (pés de galinha) e as linhas do pescoço. A toxina também pode ser aplicada em certas regiões do nariz e dos lábios para solucionar as rugas (bunny lines no nariz) e levantar levemente partes da musculatura oral.

Como é realizada a aplicação?

A aplicação da toxina botulínica deve seguir alguns preceitos básicos de segurança para limitar os efeitos do produto aos músculos desejados, como por exemplo, mapear a anatomia facial, realizar uma marcação prévia dos locais de aplicação e utilizar o volume ideal para cada aplicação. Na Clinic realizamos uma avaliação facial anatômica detalhada de nossos pacientes, a fim de entender a dinâmica das rugas e linhas de expressão de cada indivíduo e indicar o melhor planejamento de aplicação para, assim, entregarmos um resultado mais personalizado possível.

Qual a durabilidade dos efeitos?

Em geral, os efeitos iniciais de enfraquecimento muscular podem ser observados em aproximadamente de 1 a 3 dias após a aplicação, e os resultados podem ser observados em até 10 a 15 dias. Este resultado, entretanto, depende da resposta orgânica de cada paciente, existindo a possibilidade de ser necessário um retoque (prazo máximo de 15 dias da data da aplicação), ou até mesmo que o produto não venha a surtir o efeito desejado (por uma, ou por várias semanas após a injeção). A duração dos efeitos clínicos depende de vários fatores, entre eles: dose total utilizada, gravidade do quadro de linhas e rugas, presença de outros tipos de terapia associada (ex: uso de antibióticos ou vacina) e fatores individuais como capacidade de metabolismo da toxina. Por se tratar de ação química, este tratamento não é definitivo, pois o produto perde o seu efeito após, geralmente, 4 a 6 meses (podendo variar para mais ou menos tempo). Após este período, uma nova aplicação poderá ser planejada se o(a) paciente assim o desejar.

Quais cuidados devem ser tomados?

Após o procedimento de aplicação da toxina botulínica tipo A, algumas orientações deverão ser seguidas, tanto pelo profissional quanto pelo paciente, para se evitar o risco de disseminação do produto para outros grupos musculares além do alvo em que se deseja realizar o tratamento, a fim de alcançar o resultado esperado da melhor maneira possível.

Prioritariamente, recomenda-se ao paciente não massagear ou manipular com firmeza a região tratada logo após a aplicação, além de permanecer em posição vertical, sem deitar ou abaixar a cabeça, por um período de pelo menos 4 horas, além de não realizar mímicas, caretas ou franzir o rosto nas primeiras horas pós-aplicação, pois estes fatores podem facilitar a disseminação do produto para outros músculos.

É aconselhável evitar a realização de exercício físico e atividades que demandam esforço no dia da aplicação. Após aplicação ou enquanto houver hematomas, a exposição da região tratada ao sol poderá manchar a pele, como ocorre com qualquer hematoma quando exposto ao sol, portanto é necessária a aplicação do filtro solar FPS 30 de 3 em 3 horas, enquanto ainda houver hematomas. É importante atentar-se do fato que a toxina botulínica apresenta um certo grau de fotossensibilidade, portanto a exposição solar possui a capacidade de diminuir o tempo de ação da mesma no organismo. Além disso, a exposição da área tratado a fontes de calor ou a pressão pontual podem interferir nas características e distribuição da substância recém-aplicada e, consequentemente, no seu efeito.

Caso o paciente esteja em tratamento com medicamentos como antibióticos (ciclosporina, hidroxicloroquina e aminoglicosídeos), bloqueadores de canal de cálcio e antiinflamatórios não-esteroidais ou que possuam alguma enfermidade neuromuscular, com infecção ou sinais de inflamação nos locais de aplicação não devem ser submetidos à aplicação da toxina botulínica ou devem suspender os medicamentos, uma vez que pode haver interferência ou interação com o produto.

E os efeitos pós procedimento?

Cada paciente pode apresentar uma resposta diferente, sujeito às particularidades individuais de cada organismo, entretanto, alguns eventos adversos referentes à aplicação da toxina mais comuns podem incluir edema (inchaço), equimoses, cefaleia (dor de cabeça), dolorimento local, vermelhidão e sangramento na área tratada, e assimetria. Mesmo sendo raras, há algumas possibilidades de ocorrência de situações mais inusitadas como queda ou flacidez (ptose) da boca, sobrancelha e/ou pálpebra, reações alérgicas, infecções, dormência e formigamento. Por isso salientamos a importância de uma anamnese (avaliação) bem detalhada e completa do histórico do paciente em questão, a fim de evitar quaisquer efeitos adversos.

Existem contra-indicações?

O tratamento é absolutamente contraindicado para indivíduos que apresentem hipersensibilidade ao medicamento ou a qualquer componente de sua formulação, portadores de infecções ativas no local da aplicação, grávidas e/ou mulheres em fase de amamentação. São consideradas contraindicações relativas, indivíduos portadores de doença neuromuscular (ex: miastenia gravis, esclerose, etc.), doença autoimune ativa e uso de aspirina ou antiinflamatórios não esteroidais por período prolongado de tempo.

Deve-se atenção ao fato de que como as diferentes formulações farmacêuticas da toxina apresentam características bastante distintas e particulares, as contra-indicações estão sujeitas de modo específico ao produto farmacêutico utilizado.

Qual a diferença entre a Toxina Botulínica e o Ácido Hialurônico? O “Bigode Chinês” pode ser tratado com a Toxina?

O tratamento com a Toxina Botulínica não é o procedimento indicado para amenizar o bigode chinês, pois a Toxina visa apenas o relaxamento da musculatura e, portanto, a amenização de rugas e expressões faciais. O Preenchimento com Ácido Hialurônico é utilizado para volumizar (preencher) os locais em que há “falha” de volume e é aplicado para devolver o contorno facial do paciente.

Em casos de sulcos e linhas de expressão faciais profundas como o sulco nasogeniano (“bigode chinês”), são recomendados outros tipos de procedimentos, como o preenchimento com ácido hialurônico, bioestimuladores (ex: sculptra, radiesse, fios, etc).

Quais profissionais podem aplicar a Toxina?

No Brasil, segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), o procedimento de aplicação de toxina botulínica tipo A não é considerado um procedimento invasivo cirúrgico, podendo ser realizado em consultório através de técnicas injetáveis, sendo exclusivo aos profissionais habilitados na área da Biomedicina Estética, Farmácia Estética, Odontologia e Medicina.

Ao decidir aplicar a Toxina Botulínica, saiba escolher um profissional capacitado e autorizado para manusear e realizar os tratamentos com a substância e certifique-se do produto utilizado!

Agende uma avaliação conosco sem custo!






Endereço: Avenida Ipiranga 344, 81 D

Seg à Sex: 9h às 21h

Sábado: 10h às 15h (quinzenal)

 

 

Contato Clínica:

(11) 3257-4391

(11) 97346-9977

Ativo 4.png
Ativo 2.png

Contato para cursos:

(11) 94329-1357

Ativo 1.png