Escleroterapia injetável, Laser ou Luz Pulsada: o melhor tratamento para secagem de vasinhos

Atualizado: Abr 26




Não é de hoje que esse problema vem assombrando as mulheres: os temidos vasinhos! Mas com tanta tecnologia e opções no mercado, qual o melhor tratamento a ser escolhido? Para ajudar nessa decisão, explicarei um pouco sobre cada um deles, forma de ação e resultados.


Se você tem vasinhos, sabe o quanto ele pode ser um inconveniente estético para suas pernas não é mesmo?! Os vasinhos são um problema exclusivamente estético e não evoluem para problemas maiores de vascularização. O que devemos observar é que geralmente quem tem vasinhos, pode ter maior probabilidade de ter uma grande alteração vascular que sim pode ser m problema de saúde a ser tratado com um medico especialista. No entanto, vemos que a grande maioria das pessoas possuem apenas os vasinhos nas pernas que causam desconforto apenas estético.

Vasos e varizes, como se formam?

Os famosos vasinhos são problemas estéticos que não comprometem a saúde local. Esses vasinhos são as veias superficiais, chamadas em alguns casos de capilares, que tem sua qualidade da parede do vaso comprometida e não exercem mais ou exercem de forma ineficiente sua função que é o retorno venoso. Entretanto o vasinho não evolui para varizes, por exemplo, pois esta, trata-se de uma veia de calibre maior comprometida.

As áreas mais comuns de vasinhos são coxa, perna e pés. Porem algumas pessoas apresenta em regiões atípicas como glúteo, costas e barriga.

É comum também algumas pessoas apresentarem vasinhos na região ao redor do nariz que ficam visíveis a olho nu e trazem um incomodo ao paciente.

É muito importante a decisão de como tratar os vasos e você deve realizar esta escolha em conjunto com um profissional especializado, seja médico ou biomédico.


O principal fator para o aparecimento dos vasinhos (telangiectasias) e das varizes é a Genética. Além disso, há diversos outros fatores desencadeantes desse fenômeno como fatores hormonais e fatores mecânicos. Geralmente, os principais fatores ligados ao aparecimento dos vasinhos são o sedentarismo, a prática extensa de exercícios pesados, ficar muito tempo em pé ou sentado durante o dia, alimentos ricos em sal ou açúcar, sobrepeso e obesidade, gestação, uso de anticoncepcionais ou reposição hormonal, abuso de consumo de álcool e cigarro, etc. Para se evitar o surgimento dessa disfunção indesejável, é necessário evitar os fatores de risco mencionados anteriormente, utilizar calçados nivelados e meias elásticas compressivas, realizar procedimentos como drenagem linfática e sempre estar em dia com os exames circulatórios.

A diferença entre os vasinhos e as varizes está no seu diâmetro e na sua profundidade: Enquanto os vasinhos são vermelhos, arroxeados, mais superficiais e apresentam entre 1 a 3 mm, as varizes têm coloração esverdeada, diâmetro de mais de 3mm, possuem trajeto tortuoso e podem afetar vasos sanguíneos maiores e mais profundos. Em casos de insuficiência vascular dos membros inferiores (varizes nas pernas), em que o indivíduo apresente sintomas como: sensação de peso nas pernas, queimação, formigamento e inchaço, é extremamente necessário que se procure um cirurgião vascular, pois há probabilidade de formar tromboses e até mesmo embolias, se não houver tratamento adequado.


QUAIS OS TRATAMENTOS

Os vasinhos nas pernas podem ser eliminados através do procedimento de escleroterapia, ou seja, “tratamento de vasinhos”.

Esta técnica pode ser realizada de diversas formas:

Escleroterapia Injetável

A escleroterapia injetável é uma das técnicas mais antigas e mais procuradas para a secagem dos vasinhos. O método baseia-se na aplicação de uma substância de ação esclerosante dentro do vaso que quando injetado, esse medicamento consegue coagular e aprisionar o sangue, causando um colapso e fechamento do vaso, que será reabsorvido pelo tecido local. O resultado é muito satisfatório e se dá entre 15 e 30 dias após a aplicação. A única objeção dos pacientes à técnica é o receio à dor, que pode ser muito amenizada com o uso de anestésico injetado junto com o esclerosante. Algumas clínicas trabalham aliando um anestésico junto do medicamento na seringa, como é o nosso caso.

Escleroterapia com glicose é realizada através da aplicação de uma injeção com produto esclerosante diretamente nos vasinhos, em concentrações altas, causa reação inflamatória no vaso, que encosta e funde suas paredes internas, impedindo a passagem do sangue. Por ser muito bem tolerada pelo organismo, é o procedimento mais indicado para o tratamento de vasinhos. A aplicação pode ser realizada associada a um anestésico (lidocaína) o que torna a sessão muito mais confortável para o paciente, além disso, a agulha é uma das mais fininhas de todas e não introduzimos ela inteira na pele, apenas a pontinha dela, que chamamos de bisel, para que ela alcance a luz do vaso, onde soltamos o produto. Este é o procedimento mais comum de se realizar e o mais seguro em relação a resultados obtidos e a poucas chances de intercorrências como manchas.

A sessão é rápida, com um profissional muito experiente e habilidoso dura de 30 a 60 minutos. Não há preparo para a sessão e o intervalo entre sessões é de 15 dias. Normalmente este tratamento apresenta um resultado muito rápido então com poucas sessões conseguimos atingir o objetivo. Trabalhando com a glicose de mais alta concentração, recomendamos de 1 a 3 sessões em media para os pacientes. É claro, que a quantidade de sessões vai variar de acordo com cada paciente e será observado especialmente o calibre dos vasos. Há clinicas que realizam cada perna em sessões separadas, mas esta não é uma conduta aplicada na Clinic. Em nossas sessões realizamos a aplicação em ambas às pernas e fazemos nelas completas para que o paciente possa realizar o tratamento todo de forma mais objetiva e rápida.

As sessões de aplicação injetável produzem aqueles vídeos maravilhosos que aparecem na internet que se ve sumindo imediatamente, entretanto vale ressaltar que seu efeito não é imediato como parece e seu resultado é progressivo em media com 15 a 20 dias.

O profissional para realizar este procedimento precisa ter muita destreza nas mãos, pois quando mal aplicado, pode-se depositar o produto fora da luz do vaso e ocasionar manchas ou lesões na pele.

O paciente pode voltar as suas atividades rotineiras logo em seguida, e solicitamos um repouso apenas das atividades mais intensas por 24h após a aplicação.


Utilizamos a lidocaína na formulação para tornar a sessão bem confortável para o paciente.

Cada clinica trabalha com uma concentração do medicamente ao qual considera a mais vantajosa para o paciente. A glicose normalmente varia de 50% a 75% a concentração, lembrando que isso esta diretamente relacionada com seu efeito. Ou seja, quanto mais concentrada, mais forte será sua ação dentro do vaso e melhor efeito. A ressalva que fazemos em relação as mais concentradas é que são mais espessas também.

Neste tipo de aplicação utilizamos uma agulha bem fininha que ira penetra na pele apenas a ponta, sendo suficiente para alcançar o vaso e depositar o medicamento dentro do mesmo.

Após o tratamento, podem-se observar hematomas e pequenas casquinhas na região onde houve o pertuito da agulha. A profissional ira lhe passar as melhores praticas para evitar tais efeitos adversos nos, porem caso ocorra, normalmente eles regridem ao normal em algumas semanas.

Muitas pessoas têm duvida se é perigoso ou se tem algum risco o procedimento injetável, e apesar de ser uma técnica minimamente invasiva ela é muito segura de se realizar em uma boa clinica equipada com biossegurança e registros na ANVISA.


PARA SABER MAIS SOBRE ESTE PROCEDIMENTO, clique aqui E AGENDE UMA AVALIAÇÃO GRATUITA COM NOSSAS ESPECIALISTAS



*Fotos autorizadas pelos clientes. Procedimentos realizados na Clinic. Por se tratar de organismos diferentes, não há garantia de resultado.



Escleroterapia com espuma (polidocanol) - técnica realizada com aplicação de polidocanol misturado ao ar, recomendado para casos especiais de vasos mais profundos. O esclerosante (polidocanol) causa um processo inflamatório na parede interior do vaso, que leva ao seu fechamento, impedindo a circulação de sangue.


Secagem de vasinhos a laser

O laser e a luz intensa pulsada (IPL) são tratamentos mais modernos e muito procurados ultimamente para secagem de vasinhos.

A diferença básica entre os dois tratamento é que o laser é uma luz de uma única cor, direção e comprimento, enquanto a IPL emite amplos espectros de luz incoerente e de vários comprimentos.

A escolha do tipo de laser ou IPL a ser usado depende do calibre e local do vaso a ser tratado. Geralmente, o laser e o IPL baseiam-se no princípio da fototermólise seletiva, ou seja, aquela luz que aplicamos tende a procurar um pigmento que, no caso dos vasos, é a hemoglobina (célula que dá a cor ao sangue). Quando disparamos a luz no vaso, esta emite uma onda de calor, causando uma lesão e impossibilitando-o de transportar o sangue. Este vasinho será então destruído e absorvido pelo sistema imunológico. Esse tratamento é mais eficaz no caso de telangiectasias de calibre bem fino e mais avermelhadas. O resultado também demora alguns dias, podendo ser mais lento e sendo necessário um maior número de sessões do que a escleroterapia injetável. O procedimento é completamente indolor, não sendo necessário repouso algum, e são essas as principais vantagens dessa escolha. O risco de manchar a pele é maior do que a escleroterapia com glicose, por exemplo, uma vez que a pele também é lesionada. Cuidados com sol devem ser tomados durante alguns dias depois desse procedimento.


O tratamento a laser ou luz pulsada trata os vasinhos por meio físico, através de calor e deve utilizada em associação com a escleroterapia injetável com glicose ou espuma. Neste caso a incidência da luz sobre a pele, vai buscar a pigmentação do vasinho e direcionar uma energia térmica seletiva na região resultara na eliminação deste microvaso. Em termos de eficácia o tratamento apresenta resultados interessantes porem não tao rápidos como a aplicação injetável. Ele tem uma forte recomendação para os vasinhos faciais, que chamamos de telangectasia e fica normalmente localizado próximo a aba do nariz.

O preparo para tratamento a laser é a não utilização de ácidos na pele e não pode estar com a pele bronzeada para não causar danos de queimadura. O tratamento tem a vantagem de ser totalmente indolor e a sessão dura no máximo 30 minutos. São recomendadas em media 8 sessões com intervalo de 15 dias.


O valor do tratamento é relativamente baixo em relação a outros tratamentos estéticos, e a Clinic tem o preço mais competitivo do mercado aliado a ótimas condições de parcelamento.

A quantidade de sessões necessária para tratar os vasinhos com esses procedimentos depende bastante do grau de severidade dos vasinhos, além do organismo e da rotina/hábitos de cada indivíduo. Além disso, devemos nos atentar ao fato de que todo o tratamento pode e deve ser complementado através da realização de dieta e exercícios físicos, para atingir resultados mais satisfatórios e duradouros.

Qual é o melhor método?

O melhor tratamento, então, depende de cada caso. Para vasos de pequeno calibre, avermelhados e as telangiectasias faciais, os tratamentos com laser e IPL vão surtir um bom resultado. Para os outros tipos de microvasos, o tratamento injetável pode apresentar um resultado mais rápido e satisfatório. A quantidade de sessões depende muito da quantidade e calibre desses vasos.

Os vasos voltam?

Com o tempo, novos vasos podem surgir, pois tratamos a consequência, e não a causa do problema. Ou seja, iremos trabalhar os vasos existentes, mas caso você tenha tendência genética ou hábitos que sejam considerados propulsores, você poderá ter novos, ainda que não remova os já existentes. Portanto não existe uma maneira de acabar definitivamente com este problema.


A maior duvida entre nossos clientes é se os vasinhos podem voltar, e a explicação é bem simples: uma pessoa que tem tendia associada a hobbies que favoreçam o aparecimento de vasos esta em constante formação de novos vasinhos ainda que seja de forma bem lenta. Remover os vasinhos não fara com que pare o processo de formação de novos, e portanto, com o tempo, poderão surgir novos vasos, que não coincidentemente, são na mesma região. A grande questão é que quando não tratamos vamos sempre acumulando mais e mais, ao ponto que sempre ficará cada vez mais difícil seu tratamento. Por isso, recomendamos que a cada ano realize 1 sessão de manutenção para conter o progresso dos mesmos.

Como prevenir os vasinhos?

Para dar uma resposta absoluta neste tópico precisaríamos entender as causas do aparecimento deles, e em grande maioria dos casos essa é uma missão muito difícil dado que o comprometimento vascular tem causas diversas desde pré-disposição genética, a hábitos que impulsionam o surgimento.

De certa forma, existem métodos que ajudam a prevenir como realizar atividade física regularmente e moderada, ingerir bastante liquido para ajudar fluidificar o sangue, e manter uma alimentação equilibrada. Em alguns casos há recomendação de uso de meias de compressão para auxiliar o retorno venoso.

O tratamento pode ser realizado em muitos dos casos, salvo algumas condições de exceção como gestação e lactantes. Ou seja, durante o período de gravidez e amamentação não recomendamos o procedimento.




Por se trata de uma alteração estética, os procedimentos de remoção normalmente não são cobertos por convênios de saúde.

Uma avaliação criteriosa por um profissional experiente vai te ajudar definir qual melhor método bem como a quantidade de sessões necessárias.

Temos experiência de 15 anos no mercado e se você se interessou por saber mais sobre este tratamento, agende conosco uma avaliação, e informando que veio através do blog não pagará nada pela consulta de avaliação.


PARA SABER MAIS SOBRE ESTE PROCEDIMENTO, clique aqui E AGENDE UMA AVALIAÇÃO GRATUITA COM NOSSAS ESPECIALISTAS


Clinica de Estética avançada em São Paulo - Centro

22,478 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo